Portuguese English

GP Eleições no Comité Olímpico de Portugal

José Manuel Constantino Venceu

José Manuel Constantino venceu as eleições para o Comité Olímpico de Portugal (COP) (92-67). Nunca, desde os anos cinquenta, as eleições foram tão disputadas. Os nossos parabéns ao candidato vencedor bem como a Manuel Marques da Silva na medida em que se existe área social em que só é derrotado quem desiste de lutar é o desporto.

Assim sendo, fazemos votos para que o próximo presidente do COP venha a ser capaz de:

  1. Promover a igualdade dos géneros no acesso às oportunidades como uma das conquistas mais significativas no domínio dos direitos humanos no que concerne aos direitos das mulheres;
  2. Respeitar o benevolato dos dirigentes do vértice estratégico que decorre da Carta Olímpica, garante da defesa dos princípios e dos valores do Olimpismo;
  3. Defender a liberdade das organizações desportivas na prossecução da sua vocação e da sua missão, livre de qualquer intromissão abusiva por parte dos agentes governamentais quer nacionais quer locais;
  4. Desenvolver o conhecimento e a cultura enquanto suportes das decisões de grande complexidade que, em matéria de política desportiva, hão de ser tomadas;
  5. Salvaguardar a honestidade do discurso pondo de parte uma prática abusiva de promessas irrealistas que nada têm a ver com a situação social, económica e política do País;
  6. Implementar políticas capazes de provocar o rejuvenescimento do dirigismo desportivo que há longos anos se perpetua agarrado ao poder;
  7. Promover uma cultura de debate democrático acerca das grandes questões que hão de organizar o desporto português;
  8. Defender a verdade, recusando a utilização de meias verdades e falsas insinuações que deturpam a ética da disputa de opiniões característica dos sistemas democráticos;
  9. Fomentar a igualdade de oportunidades a partir da figura dos concursos que apurem os mais aptos e competentes, em desfavor do nepotismo e do amiguismo;
  10. Desencadear programas de educação desportiva, de maneira a que a dinâmica do Olimpismo possa assumir um papel verdadeiramente útil na reformulação dos programas escolares de educação física;
  11. Romper com o “status quo” do Sistema Desportivo Nacional a fim de promover um olhar inovador sobre o desporto e o seu futuro enquanto promotor de educação, cultura e economia;
  12. Honrar a memória do Movimento Olímpico nacional na certeza de que jamais se construirá o futuro ignorando, deturpando e desconsiderando o passado do desporto;
  13. Impulsionar uma cultura do rigor e da exigência no que diz respeito ao planeamento e programação do Projeto de Preparação Olímpica;
  14. Gerar confiança de maneira a mobilizar os múltiplos atores que direta e indiretamente intervêm no desporto, pela verdade de um discurso conhecedor, coerente e sensato.

São estes os nossos desejos.

Gustavo Pires

(Presidente do Fórum Olímpico de Portugal)

Menu principal

Story | by Dr. Radut