Portuguese English

Aniversário da Morte de Francisco Lázaro

Laços de Sangue

Laurinda Leitão (*)

Francisco Lázaro, o grande maratonista do início do século XX, surgiu no meu imaginário em tenra idade, através dos meus avós maternos que, além de terem com o atleta laços de sangue, eram seus fãs incondicionais.

 Nas memórias longínquas da minha meninice, recordo os jantares de família, nos quais os feitos desportivos de Francisco Lázaro eram frequentemente evocados com orgulho e a sua nobreza de carácter era louvada com admiração.

Lembro-me de ficar fascinada ao ouvir os meus avós relatarem o percurso de vida de Francisco Lázaro desde a sua origem humilde e anónima, em Benfica, até ao seu reconhecimento glorioso em terras escandinavas.

Na adolescência, deleitava-me a ler recortes de jornais antigos, coleccionados por um tio, também ele rendido ao fascínio por Lázaro.

Uma fotografia a sépia do atleta repleto de medalhas vitoriosas e uma escultura em alto-relevo no seu mausoléu deram vida à imagem, por mim criada, deste malogrado maratonista.

Em adulta, foi com entusiasmo que consultei documentos antigos arquivados na Torre do Tombo e percorri com avidez jornais e revistas do início do século passado, bem como todos os livros publicados actualmente que mencionam a figura do meu “Filípides “.

Senti uma grande emoção ao visionar um filme sueco que mostra Francisco Lázaro a correr a sua derradeira maratona, momentos antes da sua brilhante carreira finalizar de forma abrupta e inesperada.

Por outro lado, é indescritível o contentamento que senti ao ter oportunidade de participar, como representante da família de Francisco Lázaro, nas múltiplas iniciativas de homenagem que decorreram em Portugal e na Suécia, no centenário da sua morte.

Nestes dois países, tenho sentido o reconhecimento póstumo pela figura do jovem carpinteiro que trocou a vida por um sonho.

 Para mim, a sua figura é emblemática da humildade, da tenacidade, da abnegação e do patriotismo.

Depois de falar com vários admiradores de Francisco Lázaro, constatei que aqueles que se debruçam sobre o seu percurso de vida ficam rendidos à sua estória fascinante e trágica.

Francisco Lázaro fez jus ao seu nome, ao surgir na ribalta cem anos após o seu desaparecimento material.

Atingiu a glória e a eternidade...

(*) Prima bisneta de Francisco Lázaro.

15/07/2013

Menu principal

Story | by Dr. Radut